Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".
Mostrar mensagens com a etiqueta falar português. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta falar português. Mostrar todas as mensagens

domingo, 14 de maio de 2017

No rescaldo

Nada a acrescentar ao que já foi dito sobre Fátima, Futebol e Festival.
Nada a dizer sobre o enorme orgulho - e saibam que não uso muito esta palavra - em ouvir pela primeira vez 12 pontos para Portugal. E mais 12,12,12,12,12... Portugal, Portugal Portugal . Nunca se ouviu tantas vezes esta palavra.

Em 61 anos de vida nunca tinha chorado a ver a pontuação no festival da Eurovisão e nunca torci os dedos a fazer figas para que Portugal se mantivesse no cabeçalho, quiçá pela falta de confiança, quiçá por não acreditar...

É uma alegria, depois de ver o vermelho a encher o Marquês só mesmo a vitória do Festival. De Fátima digo que foi preciso o Papa vir a Portugal para uma série de acontecimentos bons, por acaso, acontecer
Dizer que estou feliz é um lugar-comum...
Digo antes que não conseguirei viver mais sessenta anos para ver Portugal vencer a Eurovisão....

Para o ano será um acontecimento único por ser a primeira vez. Espero estar aqui, na Terra, para presenciar e apoiar o meu país.

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Madeira não é Portugal

O presidente do Governo Regional afirmou hoje que não tenciona conceder tolerância de ponto no dia 12 de Maio, uma vez que “não faz sentido”.
“Se estivéssemos num território com continuidade territorial fazia sentido”, afirmou Miguel Albuquerque, explicando que só se justificaria caso os madeirenses tivessem a possibilidade de irem para Fátima.

Pois é assim: os funcionários públicos vão ter tolerância de ponto aquando da visita papal a Fátima, no dia 12 de Maio, mas, nós, madeirenses não.
O governo dos Açores concede a tolerância nesse dia. Se formos a ver a geografia de Portugal Continental e insular vemos que a ilha do Corvo e das Flores é todo o arquipélago dos Açores é uma continuidade territorial...fica assim, a modos que, ao lado do Santuário de Fátima daí a razão da tolerância.

domingo, 30 de abril de 2017

Estive lá...

Hoje foi o dia do encontro.

Logo de manhã meti as unhas no volante do carro e dei ao pedal até ao sítio combinado para que uma deusa me levasse ao Olimpo, perdão ao restaurante. Entre mimos, beijos e abraços daqueles fortes, calorosos fomo-nos apresentando. Mas quanto a mim nem era necessário pois que sem nunca termos tido contacto físico já nos conhecíamos. Tem piada, não tem?

É uma coisa que até nem sei explicar, pessoas que não se conhecem a não ser pela escrita, começam a falar como se fossem amigas de há muito, como se se tivessem​ visto no dia anterior.
Uma coisa vos digo: levo-os no meu coração, levo na bagagem os beijos trocados, os apertos de mão e o som da voz.
Até ao próximo que pode ser amanhã.

sábado, 11 de março de 2017

Acácias no Douro ou não sou eu uma rapariga apaixonada


Decerto sabem que não resisto a ver rios, principalmente, o Douro que por mim tem uma paixão. E eu por ele, digamos. E quando ele se esconde por detrás das acácias (ou mimosas, tanto faz) floridas, misturando o seu tom azulado com o amarelo das flores não resisto ao seu encanto e subo por ele acima para enchê-lo de carinhos. É o suficiente para nascer um romance entre nós dois.

domingo, 5 de março de 2017

E é amar-te assim perdidamente

Sou uma apaixonada pelo Porto (mas isso já toda a gente sabe), desde que o mê Bisalho (meu filho), optou por estudar nesta cidade. E, assim que posso, meto-me ao mar.
Porque ama ela o Porto? Perguntam vocês enquanto batem com as pontas dos dedos no tampo da mesa e franzem o sobrolho.
Não sei, só sei que é um amor correspondido. É uma relação para durar.

sexta-feira, 3 de março de 2017

E, agora, ninguém fala... Ninguém diz nada...

É o terceiro caso de bebés retirados à mãe no primeiro mês de vida isto porque a Segurança Social entende que não há condições para a mãe ficar com o filho e a criança é entregue para adopção. É que nem passa por famílias de acolhimento.
Não sei se se lembram da excelente reportagem sobre a Segurança Social inglesa que retirava os filhos das mães quando havia matéria para análise. Eram mães portuguesas, mas também retiram às filhas da terra.
Lembro-me da revolta popular nas redes sociais sociais e o apoio dado pelo governo português e pelos advogados a estes casos.
Eu pergunto: e agora, que a segurança social portuguesa que faz exactamente o mesmo? Ninguém diz nada?
Onde estão os mesmos que apontaram o dedo e criticaram o sistema inglês?

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Ai sim?! Ai pois é!



Ai pois, agora chupa essa manga, melhor dizendo, atão vocês autarcas da minha vida queriam roubar o erário público e era para manter segredo?
Mas vocês, autarcas do meu mundo, pensavam que essas voltas que iam dar...quando faziam as viagens à conta dos munícipes, usando não o da algibeira mas sim o do cofre...que ninguém ia saber?
Otários! Agora andam com as calças na mão a correr no tribunal!

domingo, 24 de janeiro de 2016

E pronto...

...já temos presidente. Vamos ter muita "sopinha de massa" para comer. Mas pelo menos fala não murmura.
E que seja o presidente.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Hoje é a Noite da Conso(l)ada

E, porque o mê genro é um homem beirão fiel às suas raízes hoje é dia de bacalhau com couves, filhós, sonhos, fatias paridas, arroz doce... E porque madame (anterior projecto)-nora também é do Norte há que satisfazer todos os intervenientes nesta família.
É a Noite da Conso(l)ada e podem ter a certeza que (me) vou conso(l)ar com estas iguarias de Portugal Continental e manter a tradição de comer e cair pó lado.
E sei que vocês, pessoas da minha vida também vão conso(l)ar bem...
Por isso bom apetite e cuidado com a balança que está atrás da porta.

quinta-feira, 3 de dezembro de 2015

É de louvar

Pela primeira vez um governo inclui pessoas com deficiência na sua constituição. Ana Sofia Antunes secretária de Estado para a Inclusão e o deputado Jorge Falcato do BE, sendo o primeiro deputado em cadeira de rodas. Portugal abriu portas e fez-se história. Muda o governo, mudam-se os tempos e mudam-se as vontades. E é de louvar.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Inadmissível! Inconcebível! Inaceitável!

Perplexa foi como fiquei quando a marcar viagens de e para o Porto constatei que no dia 8 de Dezembro que é feriado uma passagem para cá, de regresso a esta Pérola do Atlântico seja a módica, a insignificante, a modesta, a irrisória quantia de 342 euros. Não ficaria admirada se todos os dias o preço praticado fosse à roda deste, mas não, nos outros dias, ronda os quarenta. "Vá de férias mas regresse antes de ir" deve ser o slogan da companhia.
Brincar com os madeirenses, só pode!

dez 2015
  1. seg 7
    Não temos voos disponíveis
  2. ter 8
    A partir de342 
  3. qua 9
    Não temos voos disponíveis
  4. qui 10
    A partir de45 
  5. sex 11
    A partir de40 
  6. sáb 12
    A partir de45 
  7. dom 13
    A partir de51 

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

1° de Dezembro de 1640 -Restauração da Independência

Poizé, eu ainda sou do tempo em que era feriadinho hoje. E a canalha miúda ia pela rua munida com um pau de giz roubado na escola e a escrever em letras garrafais: 1° de Dezembro de 1640.
Digo, em boa verdade vos digo, só anos mais tarde é que senti o verdadeiro sentido da frase.
E, hoje, lembrei-me de que também já fui criança, já roubei, já escrevi nas portas dos vizinhos, e já corri à frente da palma da mão da minha mãe e tia, ou seria da correia?!, por ter tido estas atitudes.
Hoje, lembro o sentido que e o respeito que dávamos à Restauração da Independência, à fuga do domínio espanhol. Hoje, e porque o chefe de estado não é patriota é que é um dia normal de trabalho. Como se fôssemos produzir tudo hoje.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

A excelência do nosso jornalismo

Que falta de educação e sensibilidade na escolha de determinados título dos jornais. Só faltou dizer que também chamou uma preta. Por ser magristrada tiveram medo, foi?
Não há palavras! Ninguém merece! Senhores escolham melhor as palavras e voltem a ler o código deontológico da sua profissão. Menos já era demasiado!

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Melhor

É melhor ter dois pais ou duas mães do que não ter nenhum, melhor do que estar institucionalizado em busca do casal perfeito para se concretizar a adopção. A ver se daqui para a frente há menos tempo de espera para dar a quem manifeste vontade em ter um filho de coração.
Aos poucos o nosso país caminha para a igualdade entre as pessoas. Mas será difícil agora e sempre mudar mentalidades. Aos poucos com passinhos de formiga...

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Somos Portugal

Epá (escrito assim como o gelado), somos mesmo Portugal.
No domingo pasado o programa "Somos Portugal" foi até Terras de Bouro e foi uma festa total. Uma festa garantida como anunciaram na tv e foi isso mesmo, até onze pessoas serem roubadas por carteiristas que, aproveitando a onde de alegria "deram um bailhe", como se diz em madeirense. Enquanto uns bailavam e divertiam-se outros houve que trabalharam naquilo que melhor sabem fazer: roubar.
Atão não Somos Portugal? Claro que sim. E que melhor forma de o demonstrar!

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Esta sim uma grande novidade

Que os madeirenses são os mais satisfeitos com a sua vida já se sabe agora que os portugueses são, de entre todos os europeus, os que ganham menos e trabalham mais esta sim, ninguém sabia.
E era preciso fazer-se um estudo, era?

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Sindroma de Estocolmo

Sou incapaz de gostar de alguém que me maltrate. Não posso ter simpatia por um governo que me roubou. Fui submetida a um desgaste psicológico, a intimidação da parte do agressor. Este governo que agora caíu agrediu-me, por isso, não sei o que virá, mas uma certeza eu tenho: a esperança é a última a morrer. Eu estou com esperança que este dia histórico fique para sempre lembrado como o dia em que "o povo saiu à rua com a alegria que costumava ter"

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Às vezes é no meio do silêncio...

...que descubro as palavras por dizer.
Às vezes é no meio de tanta gente que descubro afinal aquilo que sou.
Às vezes sou um sim alegre ou um triste não. E troco a minha vida por um dia de ilusão.
"Silêncio e tanta gente" uma balada de Maria Guinot que bebo cada palavra naqueles dias em que repenso tudo o que vivi. E que, afinal, estou só no meio de tanta gente. Porque não tenho pai nem mãe, irmãos estão longe e, sempre vivi como filha única (orque tenho uma diferença de dezoito anos dos meus irmãos), tia-velha no céu, a famíllia que tenho foi a que construi. Só essa.
Estou só no meio de tanta gente. Como a Maria Guinot.

domingo, 7 de junho de 2015

Há canos!

Mesmo para chatear cá a rapariga que vos escreve e porque a vida nem sempre é perfeita como desejávamos e, porque para aborrecer cá uma pessoa basta um simples...terçol.
Treçol, terçolho, treçolho, terçoilho terçol ou qualquer coisa que queiram chamar a este filho da santa mãe que o fez é o que a rapariga tem hoje para embelezar esta fachada com que se apresenta à Vida e ao Mundo. Mas não a vocês, sim não ponho aqui, eacarrapachado, a fotografia do dito que se desenvolveu e cresceu - o estapilha -no meu olho esquerdo, logo aquele olho que uso para ver. Mas hoje ele chora e que bem chora.
Há canos não tinha uma m##da destas!

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Partir pedra

Há os que mesmo a dormir partem mais pedras que acordado. Outros acordam a partir...
Partir pedra é tarefa difícil, daí que se usa esta expressão para outros fins como por exemplo falar da vida alheia ou seja "bilhardar". Quando uma conversa não chega a lado nenhum é como "partir pedra". Também se aplica quando alguém a dormir ressona como se estivesse a partir pedras...

Fotografia: obras na marginal do Funchal