Pulgas, Pulgas, Pulgas. Para qualquer lado que me vire encontro sempre uma. É à frente, é atrás, é em todo o lado, mas no colo é onde poisam. Perseguem-me. Fujo, escondo-me, mas encontram-me. São pequeninas e saltitam muito, dificilmente as agarro porque não param um minuto. Não há no mundo pulgas como estas, porque são: "As minhas Pulgas".

sábado, 25 de fevereiro de 2017

E, depois, há aqueles altos, espadaúdos, lindos como Apolo

Se há coisas que me faz saltar a brotoeja é, precisamente, alguém me cumprimentar com toda a gentileza com um rasgado sorriso e eu....Oh, mas quem é? Tungas, uma branquinha.
E por mais voltas que dê ao miolo não conheço. Não sei quem seja! Já abri todas as gavetas da memória e não consigo localizar nem encaixar em nenhum sítio este belo exemplar masculino, alto e espadaúdo, de cabelo grisalho que, quase se debruçava sobre si mesmo para me fazer um cumprimento digno de realeza?
Irritante, esta falta de memória!
Mas quem será este Apolo da Era Moderna que me deixa de cabeça à banda a pensar: mas quem será....E a cantar "mas quem será este lindo Apolo eu seilhá seilhá..."
E volvidas umas horas ainda penso nele. Mas quem será?

"São rosas, senhor, são rosas"...

...disse a rainha Santa Isabel quanto foi  interpelada pelo seu marido, El-rei Dom Diniz.
Pois eu também sou rainha do meu palácio e se me perguntarem que fruto é este, direi, do alto da escadaria do reino, a viva-voz:
"São goiabas, senhor, são goiabas".

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Não são marmelos, não são limões, antes que digam que são...

...e vou mazé comer até à exaustão (só para rimar)...
Sirvam-se, há mais na árvore.

Até ontem pensava que ia a Veneza ver o carnaval

Levei a semana a pensar que ficaria rica ontem. Sabem, recebi a previsão de um padre, numa daquelas mensagens de lixo - e só não foi esse o caminho que o senhor padre dizia que ontem dia ia acontecer uma mudança na minha vida.
A p' ssoa vai toda vaidosa de carteira onde guarda o bolhetim do totoloto e, com uma certeza na cara, a sorrir para mundos e fundos, apresenta o benditoso papel e nem ouve a campainha tocar, mas como a p'ssoa ouve mal, e depois o senhor padre tipo mestre Mamadu ou Karimba, garantiu-me que ia ser "a tal", nem liguei ao badalo da caixa.
Nada meu senhores, nem um puto dum cêntimo para, pelo menos, manter o sorriso!
Pensava eu,  mulher que acredita em milagres, que ia a Veneza de Itália ver de corpo presente o Carnaval, até já tinha a máscara pronta.
Bem, já que não vou a Veneza de Itália, vou mazé a Veneza, a pastelaria, me encher de sonhos e malassadas.
Triste ser pobre, sem dinheiro e sonhar que um dia vou partir a loiça toda de plástico e colocar a loiça do Bordalo Pinheiro ou, em vez disso, fazer o gesto do Bordalo...

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Porque é que as mulheres andam com o telemóvel no bolso de trás?

Se uma mulher tem uma bolsa a tira-colo por que tem o telemóvel no bolso de trás? Assim meio dentro meio fora.
É para ser roubado, sentir a vibração ou por que sim?

A mim lembra-me um empreiteiro! Eu jamé...Mas isto sou eu que sou antiquada.

Eu corri atrás de um sonho

É verdade, eu e mais umas quantas pessoas porque a vida leva-nos a isto. Eu corri muito para agarrá-lo e, ao longe, vi que só tinha um. Mas como?! Havia tantos!? Como só há um?!
"Um sonho é há-de ser meu!" Corri mais um pouco e já cansada ao chegar perto do sonho vi que me enganara. Afinal não era um sonho mas sim uma malassada!
É aqui está a receita das malassada que mostrei ontem.
Porque o Carnaval é feito de sonhos e malassadas.